Cap table: O que é, importância e exemplos

Sumário

Neste texto você vai entender o conceito de Cap table, a sua importância na modelagem de uma startup e alguns exemplos para que você consiga estruturar a sua primeira versão.


Pizza e Cap table: qual a relação?

Costuma ser fácil dividir uma pizza entre duas pessoas, mas à medida que temos mais pessoas fica cada vez mais difícil administrar as fatias e a fome de cada uma. 

cap table

Quando falamos sobre a Cap table, do inglês “tabela de capitalização”, a pizza é a startup e como as fatias são divididas é a tabela per se. Ou seja, a Cap table nada mais é do que uma tabela que define como a sua startup está dividida entre seus sócios, normalmente fundadores e investidores.

Na criação de uma startup, quando estamos tirando uma ideia do papel e iniciando sua validação, é muito fácil determinar como a sua “pizza” está sendo dividida: “eu tenho 50% e você 50%”, mesmo que você capte fundos de amigos e familiares e queira colocar isso no radar, poderia ser feito em uma simples planilha:

 planilha

Esta seria sua primeira tabela de capitalização, simples e eficiente para mostrar a torta societária (ou pizza!) da sua empresa. No entanto, à medida que a validação evolui e sua startup precisa buscar novos sócios e/ou investimentos, a complexidade escala de forma rápida. Antes que você esteja totalmente preparado, deverá tomar decisões sobre diluição, rodadas de investimentos, modelos de entradas e saídas, além de outros mecanismos para sustentar seu crescimento. Isto tudo pode nos fazer perder o sono e o foco no mais importante, que é a construção do nosso negócio.

A tabela de capitalização é crítica tanto para sócios investidos quanto para investidores. Investidores querem saber o que estão comprando e os investidos querem saber os impactos no seu patrimônio e na gestão da startup. Estruturar a sua cap table o mais cedo possível pode minimizar os problemas e simplificar as coisas.


A importância da Cap Table

Construir uma empresa de sucesso significa trazer pessoas de sucesso para dentro. Oferecer uma participação societária pode ajudar, e muito, a captar e engajar essas pessoas, sejam elas investidoras ou colaboradoras.

Se a sua startup deseja obter investimento para alavancar o crescimento, uma Cap table  saudável e atraente é mais do que essencial. Quando um investidor avalia uma startup, um dos primeiros pedidos será a verificação da sua Cap Table. Você pode ter a melhor ideia, a melhor marca, o plano de negócios mais empolgante e até uma longa carteira de clientes. Ainda assim sua tabela de capitalização será primordial.


O que é uma boa Cap table?

Uma captable saudável é aquela que melhor assegura os interesses individuais dos sócios e não expõe nem o negócio e nem seus fundadores a riscos evitáveis. Isso geralmente se reflete em:

  • Os sócios tem percentuais suficientemente relevantes para que seja possível atingir suas ambições pessoais com o negócio;
  • Os maiores riscos assumidos (recursos financeiro, tempo e energia/foco) são traduzidos em participações acionárias maiores;
  • Sócios que atuam em funções mais estratégicas e áreas essenciais (no core business) possuem maiores participações, suficientes para que diluições não os façam perder o interesse no negócio;

Já uma Cap table atraente para investimentos é aquela que:

  • Concentra a maior participação na mão de sócios executivos (55% ou mais);
  • Tem espaço para receber investimento suficiente para sustentar o próximo ciclo de investimento (no valuation que a startup se encontra) e ainda se mostra atraente para o investidor da potencial próxima rodada.

Montando a sua Cap Table

Para a sua primeira Cap Table há algumas opções simples e funcionais, a começar pelo velho e bom excel, seja em uma planilha mais simples ou em uma versão mais elaborada. Além do excel, há diferentes softwares especializados para apoiar esta estruturação.

Excel Simples

Se é a primeira vez que você ouve falar sobre Cap table, pesquisou no Google e caiu neste artigo, recomendamos uma planilha simples para facilitar sua vida (são apenas 3 passos):

Para baixar a planilha clique aqui

1. Fundadores: O primeiro passo é você distribuir as ações e investimentos que os fundadores fizeram e registrar a distribuição societária:

planilha captable 1

Observação: os valores em azul são fictícios, servindo apenas como referência para facilitar o aprendizado. 

Neste exemplo as fundadoras investiram as quantidades que estão em azul e dividem a estrutura societária em porcentagens diferentes. Aqui o valor que foi investido pode ser literal ou pode ter sido calculado através de um Valuation, por exemplo.

2. O primeiro investimento normalmente acarreta na primeira diluição, com fundadores abrindo mão de um certo percentual:

Captable 2

Considerando um investimento de R$ 500mil, o valuation vai a R$ 3.700.000 e o Investidor A detém cerca de 13%, advindo da diluação proporcional de todos os outros sócios. A planilha permite analisar os possíveis impactos da entrada de um investidor, em especial a potencial diluição, gerando mais confiaça e tranquilidade para buscar investimentos.

3. Os demais investimentos: basta replicar as colunas para visualizar as rodadas seguintes de investimento para visualizar o processo. Há um espaço para opções de sociedade para colaboradores, nas últimas linhas da planilha:

captable 1

Neste exemplo, na Série B houve um investimento de R$ 1.000.000 e o CEO entrando com aporte societário de R$ 200.000. Na planilha conseguimos acompanhar as diversas diluições que ocorreram devido aos novos investimentos e como os sócios foram afetados.


Softwares brasileiros:

  • https://www.basement.io/: As principais funcionalidades são referentes ao controle de todas as suas ações, opções e conversíveis num único lugar, de forma 100% online, com transparência e rastreabilidade.
  • : As principais funcionalidades são organizar o fluxo das transações societárias,facilitar a comunicação e planejamento estratégico com seus sócios, advogados e contadores.

Bom, espero que tenha facilitado seu processo de aprendizado e a criação da sua Cap Table. Fique a vontade para me procurar para compartilhar aprendizados e dialogar sobre quaisquer pontos do artigo.

Ingrid

Ingrid

Atua no apoio a modelagem, comunicação de startups. Mineira, curiosa e entusiasta de empreendedorismo e agilidade. Graduanda em Engenharia de Produção pela UFJF e Certified ScrumMaster pela Scrum Alliance. Foi facilitadora de Gestão Ágil e Liderança no Instituto de Educação e Experiência pela Prática em que fomentou a transformação organizacional de dezenas de empresas. Empreendeu uma Edtech chamada Estonteco que por meio do Hult Prize organizado pela ONU foi até a Malásia como finalista nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *