imagem principal do conteúdo que aborda os caminhos e os resultados da 5ª edição do VAI TEC, o programa que se dedica a impulsionar o empreender na periferia

VAI TEC: a potência de empreender na periferia

Sumário

O programa Valorização de Iniciativas Tecnológicas, mais conhecido como VAI TEC, é promovido há alguns anos pela prefeitura de São Paulo para fomentar o desenvolvimento e a criação de negócios de base tecnológica localizados nas periferias da capital paulista.

O programa nasceu em julho de 2013, por meio da Lei nº 15.838/2013, é gerenciado pela ADE SAMPA (Agência São Paulo de Desenvolvimento) e tornou-se um case de sucesso nacional no desenvolvimento de negócios periféricos e de fomento ao Ecossistema de Inovação, com determinante atuação do poder público.

ilustração do organograma do ecossistema empreendedor

A seguir, você conhece alguns dos objetivos do programa que visa impulsionar o empreender na periferia:

  1. Estimular o fortalecimento de empreendimentos em estágio inicial, ou seja, com modelos de negócio elaborados, com produto definido em fase de teste e, preferencialmente, em comercialização, que desenvolvam produtos ou serviços inovadores e que utilizem tecnologia como parte essencial do modelo de negócio;
  2. Disseminar a cultura e a educação empreendedoras e fomentar a inserção de jovens de baixa renda no ecossistema de empreendedorismo, inovação e tecnologia da cidade de São Paulo;
  3. Promover o desenvolvimento local e a geração de emprego e renda.

A partir da 3ª edição do VAITEC, em 2018, percebendo a necessidade de ampliar e aprofundar o impacto gerado pelo programa, cujo apoio era restrito apenas a recursos financeiros, houve uma reestruturação no escopo do projeto que visa potencializar o empreender na periferia.

Além do Capital Semente para o desenvolvimento dos negócios, o programa passou a oferecer capacitações, mentorias individuais e eventos de networking  para levar os negócios ainda mais longe, ampliando o impacto gerado nos territórios em que estão localizados e, consequentemente, gerando empregos e contribuindo na redução das desigualdades sociais.

A 5ª Edição do VAI TEC


Em 2021, aconteceu a 5ª edição do programa que visa impulsionar o empreender na periferia. Para isso, o VAITEC contou com a participação de 24 negócios e, cada um, recebeu um aporte de R$ 34.200 mil para potencializar o seu desenvolvimento. Além do capital financeiro, empreendedores e empreendedoras contaram um ciclo de capacitações e apoio técnico realizados por nós da Semente Negócios, com atuação na gestão e parceiro técnico da aceleração.

De novembro de 2020 a junho de 2021, foram oito meses de muita mão na massa, desenvolvimento dos negócios e crescimento pessoal dos empreendedores. No organograma a seguir, está detalhado o fluxo de capacitações do VAI TEC.

A seleção dos participantes do VAI TEC é feita por meio de um edital público, em que empreendedoras e emprpeendedores se inscrevem e são selecionados de acordo com os critérios de: Mercado, Fontes de Receita, Diversidade, Grau de Inovação, entre outros.

Além disso, uma das bases do programa é que os empreendedores sejam de periferias da cidade de São Paulo e de bairros com os maiores Índices de Vulnerabilidade Social no quesito Trabalho e Renda. Ao todo, na edição de 2021, o VAI TEC recebeu a inscrição de 147 negócios e, destes, 48 foram selecionados para a etapa da entrevistas. Depois, 24 negócios seguiram para a fase de aceleração do programa.

Aqui alguns números que representam um pouco da diversidade dos negócios acelerados nesta 5ª edição:

  • Nove negócios participantes são da Zona Leste de São Paulo; Seis da Zona Sul; Oito da Zona Norte; e um negócio da Zona Oeste;
  • 75% possuíam Renda familiar de até 3 salários mínimos;
  • 65,9% dos empreendedores se identificam como negros, pretos ou pardos;
  • 46,8% dos participantes são mulheres;
captura de tela de um dos encontros virtuais do VAI TEC, o programa que se dedica a impulsionar o empreender na periferia.
Registro do encontro remoto da 5ª edição do VAI TEC, executado no primeiro semestre de 2021.

Devido à necessidade de isolamento social, a 5ª edição do VAI TEC foi realizada no formato online. E visando a interatividade entre empreendedoras e empreendedores, foram utilizadas práticas de aprendizagem, ferramentas online e dinâmicas específicas.

Em cada ponto de contato com os participantes, procuramos cuidar da linguagem abordada, sem o uso de muitos termos em inglês e de siglas típicas do universo das startups. Além disso, buscamos promover a criação de um ambiente seguro de aprendizagem e compartilhamento de ideias, dúvidas e sonhos. Toda essa dinâmica conectou ainda mais os empreendedores e ajudou na construção de laços que se estendem para além da aceleração do VAI TEC.

Alguns números

Após oito meses de aceleração, oficinas de conteúdo, mentorias individuais e encontros coletivos com empreendedores da periferia, tivemos resultados incríveis ao longo do programa:

1) O faturamento médio mensal aumentou 135,56% entre novembro de 2020 a julho de 2021;

2) Foram criados 11 novos postos de trabalho e 41 novas parcerias foram fechadas, trazendo mais renda para o território e fazendo circular por mais tempo na periferia;

3) Além de desenvolvimento dos empreendedores em áreas de negócios como: finanças, estratégia de marketing, inovação, onde poderão alcançar melhores resultados ao longo de suas trajetórias empreendedoras.

Empreendendo na Periferia com Tecnologia 


Empreender na periferia torna o território local mais pulsante no sentido econômico: as pessoas ganham mais opções de compra, mais empregos são gerados e a renda gira na própria comunidade. Essa é uma das propostas da aceleração, desenvolver o pequeno empreendedor com capacitação e apoio financeiro. Apesar do edital não restringir a seleção a negócios de impacto, ou seja, negócios que visam o lucro mas, também, uma transformação socioambiental, é bem comum identificarmos este tipo de negócio na aceleração.

Como foi o caso da Terra Preta que criou o Fértil Imagens, um banco de imagens nacional com pessoas pretas. O objetivo da plataforma é trazer a representatividade na comunicação e divulgação de pequenas e médias empresas.

Ou a Free Soul Food, negócio de alimentação saudável e inclusiva, que comercializa cestas, coffee-breaks, coquetéis em eventos e etc, além de promover trabalhos a população de migrantes e negras da cidade de São Paulo. 

Acreditamos na potência que são os negócios da periferia. Acreditamos nos pequenos empreendedores que, muitas vezes, começam do zero e desenvolvem negócios e iniciativas incríveis que trazem sustento para suas famílias e fazem o dinheiro circular na própria comunidade.

Capacitar esse perfil de empreendedores é uma das frentes de atuação da Semente Negócios, no qual buscamos desenvolver negócios de impacto e ecossistemas como a periferia, promovendo a prosperidade através da inovação. E o VAI TEC mostrou, mais uma vez, como dar oportunidade e fomentar estas iniciativas têm o poder de transformar realidades, gerando emprego e renda.

Caso você tenha interesse em saber mais sobre a Semente e os projetos que tem desenvolvido com foco em inovação social e desenvolvimento de ecossistemas, conte com a gente!

Adriano Morais

Adriano Morais

Atua na coordenação de projetos de aceleração de negócios com foco em inovação social e desenvolvimento de territórios, realiza consultorias e facilitação de workshops. Formado em Gestão Comercial, Pós-graduado em Marketing e Negócios Digitais. É apaixonado por impacto social, empreendedorismo e marketing digital. Tem como propósito ajudar empreendedores a gerarem mais resultados em seus negócios, impactando seus familiares e pessoas ao seu redor. Atuou como Estrategista Digital, Copywriter e Empreendedor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *