Seis etapas para implementar a metodologia Agile em sua Startup

Sumário

O que eu poderia ter feito melhor na implementação da metodologia Agile.


Quando empreendedor na Startup Santo Contrato, tinha o desejo criar uma equipe ágil, principalmente pelo fato de que a equipe era formada por 3 pessoas. Eu imaginava que se fossemos ágeis, iríamos desenvolver melhor e mais rapidamente a solução com a qual  a Startup estava comprometida. 

Confesso que não foi uma tarefa fácil, isso porque, qualquer metodologia ágil pode ser simples de compreender mas é difícil de aplicar, justamente por trazer em seus regramentos movimentos de auto-organização, e nem sempre, auto-organização é compreendida pelas pessoas como um movimento de autonomia pessoal para realização de ações que não necessariamente necessitam de alguém que diga o que precisa  ser feito. 

Eu me via empurrando muita auto-organização para aquela pequena equipe, que estava a mais de um ano apresentando baixos resultados. Na verdade, foi um erro meu não comunicar adequadamente qual seria o investimento necessário para que a metodologia Agile  pudesse funcionar como eu tanto desejava. 

Seu eu pudesse tentar novamente, teria implementado seis etapas de agilidade e assim traria uma melhor conscientização do movimento Ágil. Vejamos essas etapas:


1 – Decida se a metodologia Agile  é adequada para sua Startup

Como diz Jack o Estripador: Vamos por partes! Eu deveria estar mais convencido de que o Agile era a coisa certa para a Startup em particular. Cada Startup ou cada equipe possui uma necessidade diferente, ao mesmo tempo, existem diferentes metodologias que podem ser aplicadas para diferentes momentos. Iniciar uma Startup já aplicando confeitos pesados desta metodologia, não irá funcionar… primeiro necessitamos compreender qual é a real necessidade da equipe para então, trazer alguma boa prática para ela. 

Neste ebook você pode conhecer mais sobre métodos ágeis e como identificar o melhor processo para sua startup.

Sinto que deveria ter sido inicialmente um evangelista do Movimento Ágil, criando confiança entre a equipe para sua utilização, ajudando os mesmos a dar pequenos passos ágeis em direção a uma ideal equipe auto-organizada, passando a ouvir mais o que a equipe está sentindo do que trazendo a risca hábitos que os mesmos não conheciam e não tinham.

Sendo assim, você que está iniciando uma Startup ou já possui uma em movimento e quer ter implementar a metodologia Agile, primeiro busque entender se é o momento certo para isso e se é a metodologia certa para o seu negócio. Se sim, comece trazendo ensinamentos, evangelizando os membros da Startup para que essa nova consciência não venha a atrasar as ações do desenvolvimento do negócio.


Confira também este artigo sobre aplicação de métodos ágeis no ecossistema de impacto.


2 – Consiga a adesão dos desenvolvedores

Um ponto extremamente importante é ter a adesão deste movimento ágil junto aos desenvolvedores do seu time. Caso contrário você corre o risco de estar gerindo algo enquanto eles – desenvolvedores, estão fazendo outra coisa. Para que isso não ocorra é de fundamental importância que você possa compreender a linguagem deles e assim facilitar a tradução das informações. Quando digo linguagem, é a técnica mesmo, mesmo que seja  o básico.

Isso porque, uma vez que você compreende a linguagem e torna essa comunicação mais fluida, você não apenas passa a ser o maestro da orquestra como ganha a aderência da forma de gestão por parte dos desenvolvedores, eles passam a ver você como alguém fundamental no processo da produção da aplicação digital.


3 – Tenha uma equipe animada… e livre-se dos preguiçosos

Quando falamos de movimentos ágeis e implementação da metodologia Agile, é importante ter uma equipe empolgada e animada em cumprir com os desafios que estão sendo propostas a cada interação. Com uma equipe pequena, fica fácil compreender estes movimentos de “felicidades” no time, contudo, quando este time começa a aumentar, fica fácil perder o controle ou presumir que as pessoas, por padrão, sejam habilidosas, disciplinadas, auto-organizadas e felizes a todo instante. Porém, em um mundo real não é assim. 

Pessoas com diferentes habilidades, culturas e estruturas sociais estarão trabalhando juntas por um curto ou longo período de tempo para produzir um resultado, aqui conhecido como Startup. Então, se faz importante implementar técnicas para acompanhamento do entusiasmo / felicidade do time, para que o gestor possa de forma ágil buscar ação caso veja que alguém não está feliz. Isso porque, um membro do time não feliz poderá não só contaminar os demais como não irá atingir seu máximo de eficiência.

Para isso, usar o método Niko Niko, poderá facilitar a compreensão da felicidade do time ao longo do projeto.


4 – Capacite sua equipe para auto-organização

Com uma equipe envolvida, eu teria ido para o próximo estágio na evolução ágil, que envolve dar pequenos passos ao longo do tempo e teria desistido de insistir em minhas práticas não tão ágeis, mas que achava que eram. Para que você possa ter uma equipe ágil, você precisa conduzir todos ao um movimento de auto-organização, onde todos são líderes em seus processos pessoais. Sendo assim, a liderança não é exercida por um único agente e sim por todo o time de forma colaborativa e lateral. Porém, aqui também vale um cuidado. 

O desejo de auto-organização deve provir dos desejos da própria equipe e não ser conduzido a fórceps por uma única pessoa. A equipe deve ver valor em trabalhar neste formato e se sentir engajada com isso. 

Neste sentido, um bate papo aberto em equipe sobre as vantagens desta auto-organização deve ser compromisso de quem tem o papel de ser um evangelizador do movimento ágil, para que toda dúvida seja traduzida em oportunidade de se trabalhar melhor e não de trabalhar mais. 

É nesta hora que você cria a necessidade de trabalhar em um ambiente estável, de aprendizado contínuo, mas seguro.


5 – Aplique disciplina, ainda mais se o trabalho for remoto

Como uma equipe organizada, a auto-organização em si não é o suficiente para dizer que você possui uma equipe ágil… na verdade, pode gerar um caos se você abandonar o controle e não respeitar as disciplinas e boas práticas para ver se seu time realmente está conseguindo aplicar com eficiência esse processo de auto-organização, ainda mais quando se tem um time totalmente remoto.

Disciplina é uma palavra que pode ser compreendida de forma negativa, mas, nesse conceito, significa seguir alguns padrões: aqui a disciplina está em saber a hora de começar e terminar, de cumprir as promessas e seguir a lista de atividades que foi determinada para execução em um período de tempo, se todos entendem os seus papéis e funções.

Para esse controle de disciplina, basta que você aplique interações diárias com seu time, de não mais que 30 min. Em 30 minutos você consegue perguntar:

  • O que vocês fizeram ontem?
  • O que vocês vão fazer hoje?
  • Aconteceu alguma coisa ou imprevisto em que eu possa ajudar?

Esse momento ajuda a evitar o piloto automático da equipe e ao mesmo tempo, trazer foco naquilo que é essencial a ser feito, e isso é ser ágil. Essa atividade é fácil de fazer e você pode começar a qualquer momento, fora que ajuda a encontrar problemas de forma precoce. 

Na série de webinars que a Semente Negócios realizou em março, temos um episódio dedicado exclusivamente a métodos ágeis no trabalho remoto.


6 – Viralize seus mantras para que eles sejam compreendidos por todos os novos membros da equipe

Mesmo que sua equipe esteja familiarizada com todo movimento ágil e esteja gerando excelente resultado, você deve começar a cruzar a linha e partir para outros departamentos. Como sabemos, apesar de uma startup começar com um pequeno time, ela pode rapidamente vir a ter um grande número de pessoas, então é importante que este novo setor ou novos colaboradores possam também trabalhar sobre um movimento de auto-organização e com agilidade, caso contrário você terá somente uma peça ágil e não um motor turbinado. 

Vale ressaltar que o verdadeiro impulso da metodologia Agile ocorre quando todos têm a mesma cultura. Nesse sentido, o ágil não é uma prática de desenvolvimento, mas um processo de negócio como um todo. 


Um conselho final para você que será o agente implementador do Método Agile: não tente esta metodologia se você não compreende bem esse movimento e se sua equipe está funcionando bem com outra metodologia. Contudo, se você quer muito implementar este movimento de gestão ágil, comece aos poucos sem forçar a barra, dê tempo ao tempo e vá aculturando seu time, deixando que eles mesmos consigam ver valor em sua utilização e as vantagens de se construir uma gestão baseada na auto-organização. Não há maneira certa ou errada de implementar o método, desde que você reflita e melhore seus processos até encontrar o que melhor se aplica a sua equipe ou startup.

Marcel Boff

Marcel Boff

Atua na coordenação das estratégias da vertical e nos principais projetos de aceleração de startups. Advogado pela ULBRA, pós graduado em Direito Público. Possui Micro Master em Digital Product Management pela University of Boston. É Scrum Master certificado pela International Scrum Institute. Especialista em Design Thinking pela University of Virginia. Atuou como CEO e CLO na Startup Santo Contrato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *