Você conhece todos os tipos de vantagem competitiva?

Sumário

O ambiente empresarial acirrado encontrado atualmente é marcado pela rapidez da informação e pelo constante crescimento do nível de exigência por parte dos consumidores. Tal contexto impõe às empresas buscarem mecanismos que as diferenciem de seus concorrentes. O fomento aos diferentes tipos de vantagem competitiva, por sua vez, proporciona um crescimento sustentado. 


O que é a vantagem competitiva?

Podemos definir vantagem competitiva como a condição que diferencia uma empresa das demais no seu segmento de atuação. Em outras palavras, o conceito se refere ao conjunto de atributos desenvolvido por uma organização que permite que a mesma tenha capacidade de atingir um nível mais elevado de vendas, permanecendo à frente da concorrência.

Uma vantagem competitiva se origina de uma competência central do negócio, ou seja, de uma habilidade adquirida no segmento de atuação. No entanto, para que essa habilidade se transforme em um dos tipos de vantagem competitiva, é necessário exercê-la melhor do que os concorrentes.


Quais são os tipos de vantagem competitiva?

Michael Porter, que é autor do livro Vantagem Competitiva, defende dois importantes tipos de vantagem competitiva: o menor custo e a diferenciação. Veja: 

O menor custo é obtido quando a empresa produz, oferta e/ou comercializa um produto com maior eficiência do que seus concorrentes, adotando preços menores frente ao consumidor. 

Já a diferenciação acontece quando a empresa consegue entregar um valor superior ao seu consumidor, seja na qualidade ou em características especiais de seus produtos ou serviços.


O que caracteriza uma vantagem competitiva sustentável?

Independentemente dos tipos, a vantagem competitiva precisa ser sustentável, onde os recursos disponíveis são unidos às oportunidades existentes e o alcance das vantagens tem a capacidade de permanecer a longo prazo. 

Por isso, a habilidade desenvolvida por uma empresa deve possuir três características essenciais para ser considerada, de fato, uma vantagem competitiva. São elas:

  1. Gerar valor ao cliente: não basta ser única, criativa ou a mais barata se não for aquilo que o cliente deseja;
  2. Ser difícil de copiar ou substituir: é importante que os concorrentes não consigam copiar a ideia de seu produto ou serviço e/ou não consigam chegar num nível de eficiência semelhante, permitindo que pratiquem preços parecidos;
  3. Perdurar no longo prazo: a vantagem não pode ser momentânea, precisa ser sustentada por um longo período.

organizações do futuro


O papel da inovação

Diante disso, inovar se tornou uma questão essencial para qualquer empresa que busca ter algum dos tipos de vantagem competitiva. O caminho para alcançá-los pode ser otimizando processos para obter maior eficiência de produção, reduzindo custos, criando produtos que resolvam problemas e conquistem os clientes ou na maneira de se relacionar com seus consumidores, criando diferenciação em seus serviços. 

O fato é que, para muitas empresas, a principal estratégia competitiva, de sobrevivência e de crescimento é a inovação. Sendo assim, tanto inovações incrementais, que buscam fazer melhor o que já se fazia, buscando a vantagem de menor custo, quanto inovações radicais, capazes de criar novos mercados e proporcionar rápida expansão econômica através da diferenciação, são características provindas da capacidade de inovar de organizações competitivas.

Um grande benefício de promover a inovação, e a maior busca por grande parte das empresas, é atingir o pioneirismo no que faz, assegurando uma condição de monopólio, mesmo que por um tempo determinado. Ou seja, utilizar a inovação para garantir o tipo de vantagem competitiva da diferenciação.

No entanto, diversos estudos concluem que inovações em processos fornecem bases para uma vantagem competitiva mais duradoura, uma vez que seriam menos sujeitas a observação e imitação pelos concorrentes. 

Nessa perspectiva, ao inovar em direções pouco exploradas pelos concorrentes e em aspectos totalmente controláveis, as empresas podem alcançar agilidade e eficiência, tornando-se uma fonte de vantagem competitiva. Redução de custos, novas parcerias, melhoria contínua e novas formas de seleção de fornecedores são algumas das estratégias neste quesito. 


tipos de vantagem competitiva

Inovação aberta, disruptiva e estruturada

Em suas obras, Barney cita o exemplo da Sony. A empresa apresenta vantagem competitiva sustentável não porque suas inovações não sejam copiadas, mas porque possui um nível de agilidade maior em explorar suas capacidades e ajustar seus processos.

O Open Innovation, que é a inovação aberta através da aproximação com startups, é uma das formas que as corporações têm encontrado para solucionar demandas internas e tornarem seus processos mais ágeis, diminuindo custos e, consequentemente conseguindo entregar ao mercado produtos com maior qualidade a um preço menor.

A inovação disruptiva também apresenta traços do tipo de vantagem competitiva por menor custo. Isso porque, normalmente, ocorre quando uma empresa lança uma tecnologia mais barata, acessível e eficiente, mirando margens de lucros menores. 

Tal estratégia cria uma revolução, deixando obsoleto quem, antes, era líder do mercado. Isso aconteceu com o Uber, que tomou o lugar dos taxistas, com o Airbnb no setor de hotelaria e com a Netflix no mercado de locação de filmes.

Por outro lado, esses exemplos também utilizaram a inovação para criar o tipo de vantagem competitiva da diferenciação. Ou seja, é algo que a organização possui, que sua concorrência não tem e que, devido a sua complexidade, tardará a ter e que os clientes aprovam e se sentem privilegiados em utilizar.

A inovação estruturada como fator competitivo de diferenciação, por sua vez, tem o poder de transformar ideias em novos produtos, novos serviços ou novos modelos de negócios, entregando ao mercado soluções que ainda não existiam ou não estavam resolvendo com eficácia os problemas dos consumidores.


Considerações finais

As novas metodologias atreladas à inovação, como o customer development, métodos ágeis e design thinking, foram concebidas para que as empresas pudessem trabalhar com maior afinco na busca pela vantagem competitiva da diferenciação. Colocando o cliente no centro das atenções e desenvolvendo soluções que, de fato, sejam vantajosas aos usuários e não simplesmente apenas melhorando produtos que a empresa já produzia anteriormente.

Dessa maneira, a empresa consegue trabalhar com os Três Horizontes da Inovação: balanceando seu portfólio com inovações incrementais em seus produtos, mas também pensando em horizontes que poderão transformar a maneira como entregar seus produtos e serviços ao mercado, gerando diferenciação.

Independentemente dos tipos de vantagem competitiva que a empresa optar por trabalhar, a inovação será uma grande aliada. No entanto, cabe ressaltar que, para a inovação funcionar, é necessário que seja tratada como um processo que requer análise, monitoramento, atualização e direcionamento de ações. 

Nesse cenário, é importante desenvolver uma sistematização para facilitar o fluxo criativo e alinhar as ideias aos objetivos estratégicos da empresa, além de estar atualizado sobre tendências que possam interferir no segmento de atuação da mesma.

Qual é a sua opinião sobre como alcançar os tipos de vantagem competitiva? Compartilhe o seu relato conosco no espaço dos comentários. Use o mesmo formulário se quiser conversar com um de nossos consultores. 


Tamiris Dinkowski

Tamiris Dinkowski

Focada em Governança Corporativa, atua na implementação de estratégias de inovação. Formada em Ciências Contábeis pela UFSM, especialista em Controladoria e Finanças pela PUC-RS, estudou Innovation Governance na University of Toronto. Foi Presidente do Conselho de Administração da Federação Gaúcha de Empresas Juniores e Conselheira na Confederação Brasileira. É fundadora do negócio digital miirum.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *