Como transformar ideias em negócios lucrativos

Sumário

Há quem sonhe em criar uma startup milionária a partir de uma ideia mirabolante. A gente sabe que isso é completamente possível, a partir de diversos exemplos de negócios lucrativos pelo mundo. No entanto, só é viável quando a intenção não para por aí. 

Não basta a ideia, nem a esperança por uma fórmula única e mágica. O que existe é a aplicação de processos que podem indicar se o empreendedor está na rota que poderá levá-lo ao sucesso.

Sabemos que algumas ideias têm seu timing para preencher uma lacuna do mercado. É neste momento que alguns empreendedores se atropelam e pulam etapas essenciais ao começarem as atividades. 

Por mais enxuto que já seja um modelo de criação de uma startup, as etapas desde a ideação à implementação não podem ser desconsideradas. Confira neste artigo como você pode avaliar suas ideias para transformá-las em negócios lucrativos:


Tenha em mente qual é o principal motivo por trás da ideia

Não é qualquer lampejo criativo que vai se transformar em uma startup. A permissão ao cultivo de ideias é mais do que bem-vinda, inclusive para aperfeiçoar o pensamento inicial. 

Dessa forma, junto da sua ideia deve estar a resposta do porquê dela existir. Ou seja, qual benefício sua proposta traz às pessoas? Indo além: qual problema a sua ideia é capaz de resolver?

Mesmo que existam outras startups ou empresas que já ofereçam uma solução similar à sua, isso não quer dizer que não haja espaço para novos negócios lucrativos neste setor. A principal dúvida a ser sanada é se a ideia atende a alguma demanda que ainda não seja contemplada satisfatoriamente pelo mercado.

Conhecer o terreno é uma regra básica para um empreendedor. Vale pesquisar o mercado, os potenciais concorrentes e o público-alvo para complementar a estrutura do produto ou serviço que você pretende oferecer.

A Semente oferece programas de pré-aceleração nos quais as startups participantes trilham o Caminho Empreendedor e aprendem a explorar e validar seus modelos de negócio para o crescimento e a escalabilidade. 


Compartilhe a ideia e colete feedbacks

Há empreendedores que evitam compartilhar as ideias que surgem. Também temem falar sobre seus modelos de negócio temendo a concorrência. A verdade é que dividir com outras pessoas sobre o que pretende oferecer ao mercado pode ser benéfico de três formas:

  • checar se a sua ideia realmente faz sentido;
  • receber dicas de empresários ou mesmo de experts do setor que você pretende entrar;
  • pode ser a oportunidade até para encontrar parceiros que tenham o mesmo objetivo ou conhecimentos complementares para tocar o negócio.

Além disso, leve em consideração somente o feedback de qualidade. Você pode consultar conhecidos e familiares caso eles se enquadrem no público-alvo que sua startup pretende atingir. Do contrário, fique com quem vai agregar valor à ideação, mesmo que sejam opiniões contrárias às suas.


startup maker


Estruture seu modelo de negócio

O modelo de negócio precisa dizer qual é a fórmula com que a startup vai criar, entregar e capturar valor. Ele basicamente deve responder o que é o produto ou o serviço a serem oferecidos, como eles se inserem no mercado, quais são os clientes em potencial e como geram ganhos. 

O modelo de negócio também dá diretrizes se a ideia tem uma estrutura escalável e repetível, que permite expansão sem aumento significativo dos custos. Para validar o documento, é preciso apresentá-lo a clientes, testar e aprimorar as hipóteses nele contidas.

No livro Business Model Generation – Inovação em Modelos de Negócios, o palestrante, consultor e empreendedor suíço Alex Osterwalder lista alguns pontos que devem ser respondidos dentro de um modelo para aqueles que miram ter negócios lucrativos. Alguns dos pontos são:

  • Qual é a proposta de valor do negócio, que torna o que ele oferece como único no mercado?
  • Qual é o produto ou serviço?
  • Haverá parcerias com outras empresas para oferecê-lo?
  • Quem será o cliente?
  • Como o negócio vai gerar receita?
  • Qual é a composição dos custos e a infraestrutura necessária para ele ser realizado?
  • Como será a comunicação, distribuição e relacionamento com o cliente?

negócios lucrativos

Valide o problema para obter negócios lucrativos

É comum que empreendedores acreditem que a validação do problema seja o mesmo que a validação do produto. Na verdade, é preciso comprovar primeiro a existência do problema e a demanda para que ele seja solucionado. A partir daí, diversos produtos ou serviços podem oferecer soluções semelhantes. Ou seja, a venda é feita sobre a solução que ela oferece. 

Para identificar o melhor formato para vender tal solução, é preciso conhecer a fundo o público-alvo. Validar o problema é atingir o Problem Solution Fit e isso pode ser feito por meio de pesquisas, entrevistas, teste fumaça, teste A/B, entre outras opções que envolvam a participação de pessoas.

Nesse processo, será possível saber qual o perfil do cliente, a razão de ele adquirir o produto ou o serviço da sua empresa, como a solução resolve o problema dele e se ela é viável em termos de custos, trâmites legais e de uso de tecnologia.

As respostas vão dizer quais ajustes podem ser feitos em tempo de atender esse público da maneira mais eficaz possível. Depois disso, as próximas etapas são:

  • construção do produto mínimo viável (Minimum Viable Product – MVP);
  • validação do produto (Product Fit);
  • validação do mercado (Market Fit).

Elabore o plano de negócios

Após trilhar todos esses estágios, o modelo de negócios se mostra mais sólido e o nível de incertezas atrelado ao negócio diminui drasticamente. Nesse cenário, já é possível olhar mais adiante e fazer projeções de mais longo prazo. Para isso, o plano de negócios é uma ótima ferramenta.

O plano complementa o modelo de negócios, pois apresenta uma visão ampla sobre o mercado, o produto e os seus diferenciais, projeções financeiras, estrutura organizacional e definição de indicadores a serem acompanhados. 

O plano de negócios vai mostrar qual o investimento necessário para que a ideia se desenvolva. Ele é utilizado para a captação de investimentos e participar de editais públicos. 


Tenha disposição para constantes mudanças

O ritmo de uma startup é dinâmico e envolve todas as etapas destacadas acima para que a ideia seja aperfeiçoada em tempo hábil para ir ao mercado novamente. A partir de testes e validações, a startup tem em sua essência a análise constante do seu modelo de negócios.

Ter de modificar ou simplesmente reinventar um produto ou serviço não tem a intenção de diminuir a imagem dos fundadores da empresa. Trata-se, na verdade, de uma oportunidade encontrada de melhorar o que já se possui e aproveitar a estrutura da empresa para dar continuidade e transformar a ideia em negócios lucrativos. 

Portanto, esteja aberto ao retorno positivo e negativo do mercado e abrace as mudanças!


Conclusão

Ideias não se transformam em negócios lucrativos da noite para o dia, muito menos sem ter contato direito com aqueles que irão consumir o produto ou serviço proposto. Portanto, pular as etapas preparatórias e de validação colocam ainda mais em risco uma startup que já está inserida em um ambiente vulnerável, seja pela competitividade, nível de disrupção, retorno do investimento etc. 

A Semente Negócios já acelerou mais de 8 mil startups pelo Brasil e possui serviços que podem atender empresas que se encontram em diferentes estágios. Confira a relação dos serviços oferecidas no universo das startups:

  • Mapeamento de ecossistemas: destinado a instituições de fomento que queiram desenvolver o empreendedorismo em determinadas regiões;
  • Competições de empreendedorismo: empresas podem aplicar soluções para solucionar problemas reais junto a empresas parceiras da Semente;
  • Programas de pré-aceleração: capacita e desenvolve startups para aperfeiçoarem seus modelos de negócios e a se estruturarem para a escala;
  • Cursos EAD: para empresas que queiram replicar conteúdo sobre empreendedorismo dentro ou fora dela;
  • Desenvolvimento de metodologias: identificam-se os principais desafios da startup e a metodologia que pode ajudá-la a se desenvolver;
  • Consultoria especializada: traz a visão de crescimento a startups que já tenham seu produto validado no mercado.

Quer saber melhor como a Semente pode ajudar a sua empresa a crescer? Entre em contato conosco!


Semente Negócios

Semente Negócios

A Semente é uma empresa de educação empreendedora que aposta na inovação como ferramenta para a geração de prosperidade, desenhando e executando projetos customizados em três frentes: Programas de Empreendedorismo e Aceleração; Projetos de Inovação Corporativa; e Programas de Desenvolvimento Territorial. Em 10 anos promovendo prosperidade por meio da inovação, a Semente já atuou no Brasil e outros nove países apoiando mais de duas mil empresas tais como Vale, Natura, Mercur, Sebrae, Senac, Vivo, BB Seguros, entre outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *