cultura de inovação

Intraempreendedorismo: um motor para a cultura de inovação

Sumário

Empresas que apostam no intraempreendedorismo encontram ferramentas essenciais para o desenvolvimento e impulsionamento da cultura de inovação. Ao mesmo tempo, são construídas oportunidades para desenvolvimento individual de colaboradores. Muitos, inclusive, adquirem atitudes empreendedoras: desenvolvem habilidades de inovação, de criatividade e persuasão.

Como resultado, há a construção de uma cultura de inovação, enraizada e promovida entre toda a empresa. Esses são alguns dos principais motivos que organizações de todo o mundo têm investido em colaboradores com perfil empreendedor, capazes de aplicar o intraempreendedorismo no ambiente de trabalho.

Isso porque, conforme a tecnologia e a sociedade evoluem, torna-se incontestável que as organizações também evoluam seus modelos de negócios. As empresas que não investem em medidas “contra-disruptivas” aprenderão que a evolução não espera e que não se pode viver apenas de glórias do passado. 

Normalmente, empresas consolidadas perdem mercado ou até deixam de existir por causa de outras mais inovadoras, que estão constantemente se adaptando ou provocando mudanças em seus mercados. Nos últimos anos, há bons exemplos de empresas estabelecidas que passaram por tempos difíceis. Nokia, Blockbuster e Kodak são apenas algumas das muitas que foram descontinuadas, dizimadas ou reduzidas a uma sombra de seu antigo eu, depois de anos dominando suas indústrias. 

Então, como as empresas podem evitar um destino parecido? A resposta é: investindo em inovação.

Intraempreendedorismo como processo de inovação

Mas a inovação por si só não é a salvação das empresas. Para isso, é preciso que ela seja inserida estrategicamente dentro das organizações como uma ponte entre o estado atual e onde a empresa quer estar nos próximos anos.

Sendo assim, é muito importante que antes de estruturar processos de inovação, as empresas construam uma
Tese de Inovação para conseguir alinhar sua estratégia de inovação com a do restante da empresa. Só assim os processos de inovação não ficarão soltos e sem direcionamento estratégico.

Ao estruturar os processos de inovação, a empresa deverá desenhar os seus Pipelines de inovação e definir qual será ou quais serão os veículos de inovação mais adequados. 

O pipeline de inovação é o processo pelo qual as iniciativas de inovação devem passar desde a concepção até a implementação para reduzir as incertezas (e o risco) a partir de experimentação e validação. Nele são estabelecidos estágios, critérios de passagem, atividades, dentre outras coisas.

Um dos veículos de inovação mais indicados para fomentar a cultura de inovação dentro das empresas é o intraempreendedorismo. Este conceito é o principal responsável por abrir espaço para o tema da inovação e trazer uma mudança estrutural para dentro das organizações.

O intraempreendedorismo faz com que os colaboradores das grandes empresas comecem a utilizar o
mindset das startups para testar rapidamente novas ideias e transformá-las em soluções, seja para resolver problemas e desafios internos ou para criar novas soluções de mercado.

Como incentivar a cultura de inovação?

A maneira mais certeira de incentivar a cultura da inovação é estruturando programas de intraempreendedorismo. Esses programas demandam planejamentos específicos para que sejam construídos da maneira correta. Ou seja, demandam esforços e recursos: espaço físico, pessoas, tempo e dinheiro da organização. 

Aqui na Semente, ajudamos diversas organizações com essa e outras demandas referentes à inovação. Vale a pena conhecer a nossa metodologia para entender como temos ajudado muitas empresas a estruturarem suas estratégias e processos de inovação. 

Por isso, programas de intraempreendedorismo devem ser desenhados como algo que engaje os colaboradores a participarem e não terem vergonha de propor suas ideias.

Com a implementação de programas de intraempreendedorismo, é possível identificar colaboradores com o perfil intraempreendedor e dar espaço para que se desenvolvam em prol do aumento de produtividade da empresa. 

Intraempreendedores são aqueles colaboradores que apresentam ideias, inspiram a criatividade, lideram e motivam as pessoas ao seu redor. Eles apresentam soluções para problemas que causam falhas no fluxo de trabalho ou até mesmo soluções com potencial de mercado. Os intraempreendedores são, naturalmente, solucionadores de problemas qualificados. Eles estão focados não só em cumprir as metas de trabalho, mas também em trazer novas oportunidades para o negócio.

Para além de incentivar a cultura da inovação, esses programas surgem como peças fundamentais para o desenvolvimento individual dos colaboradores. Ao mesmo tempo, trazem e distribuem não só a educação empreendedora necessária para inovar, mas também desenvolvem soluções para problemas reais identificados. 

Em síntese, iniciativas de intraempreendedorismo demonstram a capacidade e o engajamento da organização em prol da inovação. Assim, é possível dar os primeiros passos para o estabelecimento de uma cultura da inovação e impactar a empresa positivamente, além de transformar a organização em um ambiente amigável para a experimentação de ideias e resolução de problemas. 

André Bitencourt

André Bitencourt

Atua no apoio ao desenvolvimento de estratégias de inovação. Engenheiro de Produção formado pela UFRGS, estudou business management na RMIT University, na Austrália. Trabalhou na área de Marketing da Dell Computadores e foi sócio fundador da WizyPet, startup focada em desenvolver uma plataforma para manter o histórico de vida dos animais de estimação em um ambiente seguros e confiável, onde atuou como CEO. Na Semente atua como consultor na vertical de projetos de inovação corporativa.

1 comentário em “Intraempreendedorismo: um motor para a cultura de inovação”

  1. Pingback: Prova de Conceito (POC): o que é e como estruturá-la na conexão com startups?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *