O que é e qual a missão de uma empresa de educação empreendedora?

Sumário

Você sabe o que é uma empresa de educação empreendedora? A educação empreendedora é um meio para despertar nas pessoas a construção de ideias inovadoras, o que auxilia na formação de cidadãos com pensamento crítico, autônomos e transformadores. 

A educação empreendedora desenvolve habilidades essenciais para uma pessoa enfrentar os diversos desafios do século XXI. Entre essas habilidades estão: a criatividade; a capacidade de trabalhar em equipe, de forma não hierárquica e colaborativa; a autonomia para tomada de decisões, junto ao poder da análise de problemas reais e complexos, com o objetivo de encontrar soluções simples; a disposição para correr riscos e lidar com a imprevisibilidade do dia a dia etc.

A educação empreendedora existe para estimular o empreendedorismo nas pessoas, utilizando técnicas que articulam a prática do fazer e o conhecimento. O conceito está relacionado a uma ideia inovadora no mercado de ensino, que se propõe a estimular o desenvolvimento dessas habilidades comuns aos empreendedores. Empreender é um processo constante de aprendizagem, ou como preferimos, é o nosso lema de aprender fazendo.

Vemos quatro pessoas negras em uma sala (dois homens e duas mulheres). Ao fundo, em desfoque, duas delas trabalham em seus computadores. No primeiro plano, vemos que uma mulher explica algo para o homem que, atento, olha para a tela do seu notebook (imagem ilustrativa). Texto: empresa de educação empreendedora.

A trilha (ainda não definida) da educação empreendedora

De acordo com um relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que mediu as ações de educação empreendedora em fase escolar, o Brasil ocupa a 49ª posição em um ranking de 54 países. Agora, paremos para pensar no mundo corporativo.

Se na fase escolar já não é nos ensinado a ter esse tipo de pensamento, na maioria das vezes, existe uma probabilidade grande de que dentro do meio corporativo esse cenário se mantenha. Sendo assim, imagine o desafio de uma empresa de educação empreendedora para lidar com as pessoas que não foram ensinadas a pensar “fora da caixa”. 

A maioria dos jovens não aprendem sobre empreendedorismo no período escolar ou até mesmo dentro das universidades. Até porque, na realidade brasileira, muitos jovens não têm nem acesso à educação básica, imagina falar sobre empreender? Todavia, ainda que estejamos atrás no ranking da GEM, o brasileiro costuma ser uma pessoa empreendedora.

Seja por necessidade ou por oportunidade, o Brasil encerrou o ano de 2020 com 19,7 milhões de empresas ativas, de acordo com o Ministério da Economia (ME).

A educação empreendedora é mais do que aprender como abrir uma empresa. Trata-se do desenvolvimento de uma cultura em que a pessoa tenha suas habilidades desenvolvidas, a fim de se sentir preparada para traçar e alcançar objetivos ao abrir um novo negócio. Ou até mesmo alcançar a vaga esperada dentro de uma organização.

Depois de todos esses dados e informações desafiadoras para as empresas que querem atuar com educação empreendedora, fica a reflexão: como contribuir para a mudança da mentalidade das pessoas em relação à educação empreendedora, sendo que temos um modelo tradicional enraizado dentro das instituições?

Vemos três mulheres sentadas à mesa; sorridentes, duas têm computadores a sua frente enquanto a terceira tem sobre a mesa um caderno (imagem ilustrativa).

Uma meta mundial

As empresas também podem estimular a cultura da educação empreendedora internamente. Ou seja, investir na capacitação para que seus colaboradores sejam incentivados a criar e inovar, com o objetivo de trazer mais valor para a empresa. A importância de ser flexível, conviver com a diversidade, saber aceitar os seus próprios erros e aprender com eles, são algumas propostas. 

Do mesmo modo, ser capaz de mudar de ideia, de ouvir e entender outras opiniões, etc., são outras habilidades a se desenvolver dentro do ambiente organizacional. Tudo tendo como base a educação empreendedora.

Grandes grupos estão fazendo importantes mudanças para se adaptar ao cenário de negócios deste século, momento em que novas startups roubam a cena de gigantes do mercado com cada vez mais frequência. Até mesmo empresas já consolidadas precisam lidar com novos desafios a toda hora. O problema é que o risco tende a ser visto como uma coisa negativa, no qual o erro é sempre “punido” com notas baixas.

Existem bons motivos para as empresas incluírem, mesmo que aos poucos, a educação empreendedora em suas rotinas. Por exemplo, tal meta faz parte do plano de ação global da ONU (Organização das Nações Unidas) para o desenvolvimento sustentável da Agenda 2030.

Nesse mesmo sentido, é importante trazer essa realidade empreendedora para o mundo dos negócios, deixando de ser um conceito distante. Quando uma empresa tem essa preocupação, ela cria atividades capazes de favorecer o desenvolvimento desse tipo de mentalidade.

No começo, muita coisa gera insegurança, mas quando aprendemos o que chamamos de soft skills, isso muda totalmente o nosso mindset perante à vida. “Aprendemos a aprender”, a errar e a corrigir a rota. Essa postura é importante, pois o ensino tradicional costuma trabalhar com parâmetros como certo e errado. Porém, com a educação empreendedora, existem muitas possibilidades além disso.

Qual é a missão de uma empresa de educação empreendedora? 

Uma empresa de educação empreendedora contribui para a formação de pessoas. Pensar e agir de forma diferente, sem tantas limitações, é a principal missão (e desafio). Além disso, a necessidade de saber se comunicar com clareza e precisão é fundamental. Pois, quando isso não acontece, mesmo uma grande ideia pode se tornar um enorme fracasso.

A proatividade é mais uma habilidade incentivada o tempo todo. No empreendedorismo, é preciso agir, testar, validar, corrigir, voltar atrás, mudar de ideia, errar e acertar. Tudo isso demanda uma atitude mais provocativa por parte das pessoas, o que muitas vezes o ensino passivo não é capaz de fomentar.

Por fim, a empresa deve prezar pela capacidade de superação, o que costuma ser um dos maiores exemplos empreendedores. Os negócios dão certo e errado todos os dias. Portanto, saber lidar com as frustrações na vida é um aprendizado constante.

Depois de compreender o que é e qual a missão de uma empresa de educação empreendedora, confira 6 habilidades essenciais para quem está começando.

Camila Delvaux

Camila Delvaux

Apaixonada por mudanças e pelas pessoas. Formada em Comunicação Social - Jornalismo, com especialização em Gestão de Pessoas. Por mais de dez anos, trabalhou na gestão do varejo de moda e, atualmente, atua como Consultora de Inovação Empreendedora na Semente, tendo como objetivo auxiliar na transformação de novos negócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *