foto de um mapa sendo marcado com um alfinete. ilustrativo do conteúdo sobre mapeamento de ecossistemas de inovação

Mapeamento de Ecossistemas Empreendedores: um olhar dinâmico para o desenvolvimento com prosperidade

Sumário

De acordo com o dicionário, um “mapa” é uma forma de representação gráfica de determinada região ou espaço, feita com o intuito de orientar quem o utiliza. Ele é também um instrumento técnico, que ao trazer para uma escala reduzida certas informações específicas sobre o terreno, possibilita identificar elementos-chave de um espaço e utilizá-los para a tomada de decisão nas mais diversas áreas.

O principal ganho que o explorador tem ao utilizar um mapa em sua jornada é a redução de uma realidade complexa para um nível operacional e manejável.

No caso do Mapeamento de Ecossistemas Empreendedores ou de Inovação, não é muito diferente. A aplicação de metodologias desenhadas especificamente para a análise deste “espaço” multidimensional e complexo permite identificar quem são os atores mais relevantes, bem como os demais elementos que compõem o universo do empreendedorismo inovador em determinada cidade, região ou território. Tal instrumento fornece um entendimento profundo sobre como estão estruturadas as dinâmicas que contribuem para a promoção do empreendedorismo, contribuindo para geração de insights relevantes, percepção de lacunas de atuação e orientando as ações na direção correta para impulsionar o desenvolvimento socioeconômico.

O que é um ecossistema de inovação?

Ecossistema de inovação é o termo usado para descrever os vários participantes, partes interessadas e membros da comunidade que são essenciais para a inovação. Nele, estão inclusos universidades, governos, corporações, aceleradores de startups, capitalistas de risco, investidores privados, fundações, empreendedores, mentores e a mídia. Entidades locais, estaduais e federais também podem e devem participar do desenvolvimento do ecossistema.

organograma de um ecossistema de inovação. ilustrativo do conteúdo: mapeamento de ecossistemas de inovação
Adaptação da Semente Negócios a partir dos componentes de um ecossistema empreendedor conforme proposto na metodologia de Daniel Isenberg.

No entanto, após 10 anos de atuação na capacitação de empreendedores e empreendedoras, e integrando de forma ativa os ecossistemas de inovação do Brasil, nós percebemos dois principais gaps na forma como estes mapas são construídos.

Desafios no mapeamento de ecossistemas 

O primeiro desafio enfrentado no mapeamento de ecossistemas empreendedores ou de inovação é a dinamicidade. Um dos principais problemas enfrentados pelos gestores públicos e privados ao iniciarem o mapeamento para seu estado ou região de atuação é a desatualização dos dados e falta de dinamicidade diante das rápidas mudanças às quais o próprio ecossistema está submetido.

Diferente de um mapa geográfico que representa um terreno constante, com suas montanhas e rios, o mapeamento de ecossistemas empreendedores precisa ser dinâmico e acompanhar na mesma velocidade as transformações sociais e econômicas de seus agentes. De outro modo, corre o risco de tornar-se obsoleto antes mesmo de sua finalização. O problema aqui é que as metodologias tradicionais de mapeamento olham para o ecossistema empreendedor de forma estática, gerando uma “fotografia” de seus atores, recursos e conexões em determinado momento específico, congelado no tempo. Com as mudanças recentes na economia global e o aumento da digitalização de empresas e empreendedores em todos os setores, o que antes levava dois anos para ficar defasado, agora se desatualiza em questão de semanas.

imagem em close da mão de um homem traçando uma linha em mapas e documentos. ilustrativo do conteúdo: mapeamento de ecossistemas

O segundo gap na elaboração tradicional dos estudos de mapeamentos de ecossistemas empreendedores é que não há um olhar específico para os componentes que conferem sustentabilidade ao ecossistema e que podem atuar como propulsores para a geração de valor compartilhado. Os resultados dos estudos nos mostram as lacunas existentes, mas não nos ajudam a identificar e conectar os elementos que podem nos ajudar a superá-las. Por exemplo, podemos olhar para o ecossistema de inovação de determinado estado e perceber que há uma escassez de instituições de suporte como aceleradoras e incubadoras, ou que o domínio de capital financeiro está enfraquecido, com pouca oferta de capital de risco e uma baixa articulação entre investidores. 

Mas o que fazer a partir daí? Como saber por onde começar a desenhar a estratégia de ativação e desenvolvimento deste ecossistema? Para eu ver minha região prosperar por intermédio do empreendedorismo, faz mais sentido investir na abertura de uma aceleradora? Realizar parcerias com as universidades? Ou tentar atrair a atenção de investidores estrangeiros? E para além disso, como garantir que as intervenções desenhadas terão sustentabilidade no longo prazo e estarão trazendo verdadeiras contribuições para o ambiente e para a sociedade, e não apenas reforçando os padrões de desigualdade e deterioração ambiental muitas vezes já presentes nas regiões mais vulneráveis?

Com recursos escassos e interesses múltiplos, os mapas tradicionais conseguem nos auxiliar somente até um determinado ponto. A partir daí precisamos de uma nova ferramenta. Precisamos de um verdadeiro GPS.

Metodologia Semente: olhar dinâmico e enfoque na valorização da vida

Pensando nisso e inquietas com o desacoplamento entre inovação e geração de prosperidade, desenvolvemos na Semente uma nova metodologia de Mapeamento de Ecossistemas Empreendedores e de Inovação, que traz um olhar dinâmico e atento às diversas potencialidades e recursos que compõem os territórios nos quais executamos nossos programas de capacitação.

Aprofundamos e ampliamos nossa capacidade de estudo para, a partir da análise de dados reais e de seu cruzamento com as principais tendências de mercado e de sustentabilidade globais, entregar não apenas um mapa de atores do ecossistema empreendedor, mas um GPS completo com desenhos de rotas e caminhos possíveis para alavancar a inovação social em um determinado território, município ou comunidade.

Para alcançar estes resultados, a Metodologia de Mapeamento de Ecossistemas de Inovação desenvolvida pela Semente é composta por três blocos:

organograma da metodologis de mapeamento deecossistema de

Identificação de Recortes Prioritários: o primeiro bloco consiste na identificação dos recortes de oportunidades prioritárias para o território ou região. Estes recortes são as alavancas do ecossistema de inovação. Ou seja, são aquelas cadeias de valor que quando desenvolvidas carregam mais oportunidade de dinamizar o tecido social, gerando retornos positivos para os empreendedores e para seu entorno. Eles são mapeados a partir da análise dos principais desafios socioambientais presentes nas regiões em intersecção com as capacidades instaladas e os recursos disponíveis para mobilização e desenvolvimento de soluções inovadoras.

Mapa de Atores: a construção do mapa de atores parte de uma abordagem inclusiva, prezando pela representatividade presente no empreendedorismo do território analisado. Ele permite identificar os principais agentes do ecossistema empreendedor, incluindo indivíduos, startups, associações, empresas, investidores entre outras instituições relevantes para a construção do ambiente de fomento ao empreendedorismo.

A percepção desses atores acerca dos desafios e oportunidades de empreender, seu posicionamento, suas práticas inovativas também são levadas em consideração, permitindo identificar não só aquelas iniciativas que já estão consolidadas mas também as forças emergentes e como podemos promover novas conexões para fortalecer e desenvolver a inovação.

Análise de Tendências de Mercado: nesta etapa mapeia-se as principais referências nacionais e globais de inovações, negócios, tecnologias e demais soluções para os recortes priorizados. A Análise de Tendências permite tangibilizar por meio de exemplos práticos e cases de sucesso já validados em outras regiões alguns dos caminhos possíveis para o desenvolvimento do empreendedorismo social nos territórios. Ela fornece também subsídios para o desenho de programas e soluções inovadoras a serem implementadas no ecossistema, conectando a realidade local ao “estado da arte” da inovação social a nível global e apresentando modelos possíveis de combinar geração de receita e impacto socioambiental positivo.

Desta forma, unimos em uma única metodologia as principais ferramentas de inovação, empreendedorismo e desenvolvimento sustentável, tendo como resultados uma análise dinâmica e capaz de orientar a tomada de decisões estratégicas para a alavancagem de ecossistemas empreendedores em prol da geração de valor compartilhado. 

Quer saber mais sobre como o Mapeamento de Ecossistemas Empreendedores da Semente pode contribuir para o desenvolvimento da sua região? Entre em contato com um de nossos consultores!

Por que escolher a abordagem Semente para dinamização de ecossistemas de inovação?

dois colegas de trabalho traçando estratégias de mapeamento de ecossistemas
  • A inovação pode surgir de onde menos esperamos: para além das startups e das empresas de tecnologia, o que vemos cada vez mais é uma pluralidade de atores puxando a inovação: cooperativas, associações, iniciativas emergentes, negócios de impacto, micro e pequenos empreendedores também compõem o ecossistema de inovação social.
  • Mais conexão é sinônimo de mais inovação e prosperidade: a conexão de atores emergentes entre si e com empresas e organizações já consolidadas fortalece os agentes e o ecossistema como um todo. As trocas e o aumento das interações sociais e econômicas de um território contribui para a  geração de prosperidade e de benefícios para todos os envolvidos.
  • Metodologia adaptável e atenta às particularidades de cada realidade: o mapeamento orienta o desenho de programas de aceleração e de outras iniciativas adequadas à realidade de cada região. Ele é adaptável e pode ser realizado em qualquer região, estado ou município.
  • Inovar é resolver problemas reais em contextos com altos níveis de incerteza: as análises dos dados socioeconômicos combinadas a um olhar inovador de tendências fornece mais do que um mero  “retrato” do conjunto de organizações em seu momento atual, mas aponta para um conjunto de caminhos possíveis para a inovação social acontecer. A mentalidade ágil e interativa na qual se baseia a metodologia Semente contribui para a construção de um ambiente fertil para programas inovadores.
Luciana Brandão

Luciana Brandão

Gestora de Projetos e Consultora de Inovação Social na Semente Negócios, atua no desenho de estratégias de desenvolvimento territorial e setorial, na criação e gestão de programas e capacitações para aceleração de startups de impacto, negócios sociais e comunitários. Graduada em Relações Internacionais pela e Mestre em Sociologia Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estudou desenvolvimento sustentável na Universidade de Leiden e global climate change na University of Exeter. É também uma Jovem Liderança pelo Clima (YCL), com experiência em projetos de desenvolvimento sustentável, inovação socioambiental e segurança energética. Já atuou como consultora e mentora em programas como AGIR, Acelera, Desafio Conexsus e Startup-RS.

2 comentários em “Mapeamento de Ecossistemas Empreendedores: um olhar dinâmico para o desenvolvimento com prosperidade”

  1. Pingback: Modelagem de negócios de impacto social: inovação como processo, impacto como resultado - Semente Negócios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *