Conheça as sete forças da inovação

Sumário

Nos dias de hoje, temos o privilégio de vivenciar a disrupção na inovação em diferentes segmentos do mercado. Este é o fenômeno que se encarrega de transformar um determinado mercado ao apresentar as ferramentas simples, convenientes e acessíveis.

Ou seja, por meio da inovação disruptiva são apresentados produtos ou serviços que criam um novo mercado, desestabilizando os concorrentes que, anteriormente, costumavam dominar o setor. Aos poucos, os diferenciais da solução começam a ser notados pelos consumidores, o que pode acabar resultando em uma profunda mudança no comportamento de consumo. Como resultado, a solução anterior, em que a inovação disruptiva chegou para desbancar, de fato se torna obsoleta e praticamente desaparece do mercado.

Assim, a inovação disruptiva aparece, justamente, para possibilitar a otimização e aceleração de demandas do mercado, desde as mais simples até as mais complexas, proporcionando, também, uma geração de valor por meio de uma solução inovadora. 

As forças de inovação: as sete principais

E para ilustrar os marcos de inovação de processos, produtos e serviços que resolvem problemas reais e geram valor, compartilho os principais pontos da inovação, movidos pelas forças que a sustentam. Para isso, me apoio no livro “The future is faster than you think: how converging technologies are transforming business, industries and our lives”, escrito por Peter H. Diamandis  e Steven Kotler (em tradução livre: O futuro é mais rápido do que você imagina: como as tecnologias convergentes estão transformando negócios, indústrias e nossas vidas). 

Para os autores, são sete as forças da inovação: 

1 – Poupar tempo: o nosso maior ativo nos dias de hoje é o tempo. Por isso, as inovações que poupam o tempo dos usuários são sempre as mais buscadas.

2 – Disponibilidade de capital: ao longo do tempo, e mesmo em meio a crise econômica, é cada vez mais possível participar de pequenos, médios e grandes fundos de investimento prontos para abraçar o sonho e entrega dos empreendedores.

3 – Desmonetização: o primeiro projeto do motor de automóvel elétrico surgiu em 1828. Porém, transformar este projeto em larga escala e adaptar toda uma sociedade com abastecimentos elétricos custaria muito investimento. Entretanto, hoje em dia já é notável que o mercado automobilístico está muito favorável para a potencialização da presença dos carros elétricos.

4 – Mais gênios no jogo: felizmente, temos mais de um Einstein, Jobs, Gates e Zuckerberg no nosso planeta para pensar em como tornar as ações triviais (ou não) da nossa sociedade mais acessíveis, rápidas e melhores.

5 – Maior conectividade: cerca de 4,66 bilhões de pessoas acessam a internet com um ou mais dispositivos. Este número representa mais da metade da população mundial e, até 2030, estima-se que todos os habitantes do planeta tenham acesso à internet.

6 – Novos modelos de negócios: a diversidade de modelos de negócios em nichos de mercado tem possibilitado o surgimento de muitas empresas inovadoras. Esse boom desmantela monopólios e cria acessibilidade para um número expressivo de pessoas que antes não tinham acesso a produtos e/ou serviços inovadores. 

7 – Extensão da vida humana: quanto mais o ser humano percebe o seu potencial inovador, mais passos ousados nós buscamos dar. Como consequência, aumentamos a possibilidade de prolongação da vida humana, algo que desenvolvemos com melhorias na medicina, como as vacinas e os órgãos artificiais, por exemplo.

Se formos lembrar que há 10 anos, falar sobre inovação disruptiva poderia parecer loucura, hoje em dia temos provas suficientes de que não há limite para a potencialização da inovação e, como consequência, as realizações e prosperidades dos seres humanos.

Lucas Felippe

Lucas Felippe

Lucas Felippe tem 29 anos. É afroempreendedor social, gestor de projetos, consultor de Inovação Empreendedora na Semente Negócios, e formado em Engenharia Agronômica pela PUCPR. Fundador e desenvolvedor de soluções digitais para agricultura familiar no negócio social denominado Cooltivando Vida. É também membro da Rede Conectae de empreendedorismo social e um dos 30 jovens líderes de impacto social pelo Instituto Coca-Cola do Brasil.

2 comentários em “Conheça as sete forças da inovação”

  1. Pingback: Hackathons: o que são e por que esses eventos são ferramentas de inovação

  2. Pingback: MVP: o que é, como aplicar no meu negócio?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *