funcionários reunidos planejando estratégias para programa de intraempreendedorismo

Programa de intraempreendedorismo: SENAC-RS apresenta o ACELERA

Sumário

Nos últimos anos, a pauta da inovação no contexto da educação tem estado cada vez mais em voga. Diversas tendências apontam para o aumento do uso de tecnologia no ensino, das micro certificações, da educação continuada (lifelong learning), da micro aprendizagem, da era da experiência, do consumidor digital, entre muitas outras. Nesse contexto, o Senac-RS começou a pensar em programas de intraempreendedorismo para potencializar a inovação na instituição. Estratégias como essa possibilitam que uma organização não perca competitividade e protagonismo, além de continuar relevante para os estudantes.

Iniciativas de inovação estruturantes já haviam sido desenvolvidas, como a construção de um modelo próprio de gestão da inovação, o MOGI, que trouxe bases conceituais e de alinhamento para inovação. Porém, a instituição sentiu que necessitava das etapas de execução de forma estruturada e metodológica, e de transformação de ideias em resultados tangíveis para o negócio.

Pensando nisso, a gestão do Senac-RS trouxe a Semente para apoiar no desenvolvimento do seu processo de inovação, a fim de direcionar os esforços para que, nos próximos anos, a cultura da inovação esteja fomentada – sem abrir mão da busca por resultados tangíveis.

Para estabelecer a estratégia e o modelo de gestão da inovação do Senac-RS foi realizada a implementação da Corporate-up, metodologia própria da Semente Negócios. A implementação foi realizada de acordo com o passo a passo da própria metodologia:

  • Diagnóstico de maturidade de inovação;
  • Construção da Tese de Inovação do Senac-RS;
  • Balanceamento do Portfólio de Inovação;
  • Construção do Pipeline de Inovação, focado no intraempreendedorismo;
  • Definição dos Indicadores globais e de governança;
  • Estruturação do programa de intraempreendedorismo;
  • Execução do programa de intraempreendedorismo.

Sobre o Senac-RS

Desde 1946, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) é o principal agente de educação profissional voltado para o Comércio de Bens, Serviços e Turismo do País.

Hoje, está presente em mais de 1.800 municípios, de Norte a Sul do Brasil, onde mantém infraestrutura de ponta composta por mais de 600 unidades escolares, empresas pedagógicas e unidades móveis.

Seu portfólio contempla cursos presenciais e à distância, em diversas áreas do conhecimento, que vão da Formação Inicial e Continuada à Pós-graduação e permitem ao aluno planejar sua carreira profissional em uma perspectiva de educação continuada.

O Senac-RS é responsável pela atuação da instituição no Rio Grande do Sul, tendo capilaridade em várias regiões do estado através de suas unidades físicas e do EAD.

Mudar a vida das pessoas por meio da educação profissional é o compromisso do Senac do Rio Grande do Sul, instituição que já capacitou mais de sete milhões de gaúchos em mais de sete décadas de atuação.

Para cumprir sua missão de “educar para o trabalho em atividades de comércio de bens, serviços e turismo”, o Senac-RS mantém um portfólio com mais de 600 cursos em diferentes níveis: pós-graduação, graduação, técnicos, cursos livres e de aprendizagem. Além da modalidade presencial, também são oferecidos cursos à distância, em diversos níveis. Atualmente, são mais de 52 pontos de atendimento no Rio Grande do Sul.

Programa de intraempreendedorismo: conheça o ACELERA

funcionários de  uma empresa reunidos em volta de uma mesa. imagem ilustrativa do conteúdo sobre programa de intraempreendedorismo

O Programa de Intraempreendedorismo é um veículo que tem alta capacidade de promover a cultura da inovação dentro das organizações ao promover o engajamento de variados colaboradores. Este tipo de programa também atua como principal responsável por abrir espaço para o tema da inovação e lançar mudanças estruturais dentro das organizações.

Além disso, o programa de intraempreendedorismo faz com que os colaboradores das grandes empresas comecem a utilizar a mentalidade das startups para testar rapidamente novas ideias e transformá-las em soluções, seja para resolver problemas e desafios internos ou para criar novas soluções de mercado.

Pensando exatamente em transformar os desafios da estratégia de inovação em soluções de mercado e trabalhar a cultura de inovação, o Senac-RS lançou o ACELERA.

O ACELERA, programa de intraempreendedorismo do Senac-RS, contou com mais de 500 pessoas envolvidas, desde a sua organização e articulação até a execução do desenvolvimento dos projetos em si.

Como tratava-se de um projeto piloto, o ACELERA foi conduzido apenas com as escolas e faculdades de Porto Alegre e região metropolitana, além do Departamento Regional. Foram construídas as diretrizes do programa, desdobradas da tese de inovação, o regulamento e os critérios de seleção.

Alguns colaboradores foram convidados e preparados para serem mentores e embaixadores do programa de intraempreendedorismo. Foram três mentores e duas mentoras, além de 45 embaixadores. O papel dos mentores estava voltado para o apoio dos Times de Projeto (equipes formadas para participarem do programa de intraempreendedorismo); e o dos embaixadores o de engajar os demais colaboradores a participarem, bem como sanar dúvidas.

Além disso, fizeram parte da estrutura de Governança do programa o Comitê de Inovação do Senac-RS e um Grupo de Trabalho, formado por colaboradores de diversas áreas da instituição que foram responsáveis pela co-criação e implementação de ações derivadas do diagnóstico, além da idealização e comunicação de ações do programa de intraempreendedorismo. É importante destacar que a diversidade de pensamento e experiências das pessoas que fizeram parte do Grupo de Trabalho foram essenciais para a construção e disseminação do Programa dentro da instituição.

Para o ACELERA, foram definidos cinco desafios, oriundo da Tese de Inovação do Senac-RS, com o objetivo dos colaboradores enviarem as suas ideias para buscar solucioná-los. Foram eles:

  1. Melhorar a experiência do aluno ao longo de toda a sua jornada dentro do Senac-RS;
  2. Simplificar, automatizar e reduzir a burocracia dos processos internos;
  3. Facilitar o Acesso e Permanência do aluno na Instituição;
  4. Potencializar atuação em rede com foco na experiência do aluno e em resultados;
  5. Novos produtos, serviços e modelos de negócio priorizando margem e receita recorrente.

O programa de intraempreendedorismo teve seus estágios, critérios de passagem, atividades e entregas embasados no pipeline de inovação. O pipeline de inovação é o processo pelo qual as iniciativas de inovação devem passar desde a concepção até a implementação para reduzir as incertezas (e o risco) a partir de experimentação e validação. O processo serve exatamente como um funil, em que o número de ideias vai diminuindo conforme avançam nas etapas do processo de experimentação e validação de hipóteses dos projetos.

O ACELERA teve uma duração aproximada de cinco meses e foi dividido em cinco etapas principais. A primeira foi a etapa de abertura do programa, que contou com um evento online apresentado por representantes do Grupo de Trabalho, Comitê de Inovação, o diretor regional do Senac-RS e o CEO da Semente, Márcio Jappe. Depois, os colaboradores começaram a submeter as suas ideias para participar do programa: foram 368 ideias submetidas para a avaliação do Comitê de Inovação.

Já na segunda etapa, o processo do pipeline de inovação foi iniciado de fato. Após avaliação dos projetos, seguindo critérios como alinhamento com a Tese de Inovação e cumprimento dos desafios, 20 equipes iniciaram o estágio de exploração do problema. Nessa etapa as equipes precisam ir ao mercado, conversar e entender as demandas e necessidades reais das pessoas, para só depois pensarem nas suas soluções. Após o cumprimento das entregas e o atingimento dos objetivos, 13 projetos avançaram para o estágio seguinte.

No terceiro momento, as 13 equipes começaram a construir suas soluções. A proposta foi, novamente, de conversar com o mercado para apresentar a ideia de solução e testar a aceitabilidade e, por fim, iniciar a estruturação dos seus modelos de negócios. Ao final, todas as equipes participaram do Pitch Day, momento em que apresentaram o seu projeto para uma banca avaliadora, que contemplou o Comitê de Inovação e dois convidados externos.

Seguindo os critérios de avaliação desta etapa do programa, a banca avaliadora selecionou 6 projetos para avançarem para a quarta etapa do ACELERA. Essas 6 equipes, então, começaram a trabalhar na prototipação dos seus MVPs (Mínimos Produtos Viáveis). Foram, aproximadamente, 10 semanas de trabalho das equipes no desenvolvimento dos protótipos e testagem com o público-alvo. Ao final desta etapa todas as equipes apresentaram um pitch dos seus projetos no evento de encerramento, o Demoday.

O Demoday foi a quinta, e última, etapa do programa. Nesse encontro, que ocorreu em um formato híbrido com as equipes apresentando presencialmente e os avaliadores e público externo de forma virtual, aconteceram as apresentações das ideias e a grande premiação de um projeto vencedor. Embora somente um projeto tenha saído como vencedor do Programa ACELERA, o Senac-RS julgou que todos têm um grande potencial de se tornarem soluções inovadoras e, por isso, serão escalados como projetos estratégicos dentro da instituição.

Em todas as etapas do Programa ACELERA, as equipes contaram com treinamentos específicos e consultorias com a equipe de consultores da Semente, além do apoio direto dos mentores escolhidos pela instituição.

Resultados

O ACELERA não foi apenas um programa de intraempreendedorismo para o Senac-RS. Ele simbolizou a capacidade e o engajamento da instituição para inovar.

Derivado do ACELERA, além de, aproximadamente, 80 colaboradores serem treinados por meio da experiência prática proporcionada pelo programa, 100 pessoas foram impactadas direta ou indiretamente, ampliando a cultura de inovação. Além disso, o comitê de inovação tornou-se ativo e estratégico para o Senac-RS. Nesse contexto, também foi reformulada a estrutura de governança da inovação para dar agilidade e força aos projetos e foram aprovados novos projetos para implementar outros veículos de inovação complementares ao ACELERA.

O ACELERA foi um passo muito importante dado pelo Senac-RS na promoção da cultura de inovação e para experimentação de novas ferramentas e metodologias. Com certeza, daqui para frente poderemos ver a instituição acelerando cada vez mais a inovação.Se você quiser conhecer um pouco mais sobre como foi a experiência do ACELERA no Senac-RS, não deixe de assistir ao vídeo a seguir!

André Bitencourt

André Bitencourt

Atua no apoio ao desenvolvimento de estratégias de inovação. Engenheiro de Produção formado pela UFRGS, estudou business management na RMIT University, na Austrália. Trabalhou na área de Marketing da Dell Computadores e foi sócio fundador da WizyPet, startup focada em desenvolver uma plataforma para manter o histórico de vida dos animais de estimação em um ambiente seguros e confiável, onde atuou como CEO. Na Semente atua como consultor na vertical de projetos de inovação corporativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *