imagem ilustrativa do conteúdo: o valor do feedback

O valor do feedback: para pessoas, para a cultura de uma empresa

Sumário

Todo mundo gosta de receber um elogio relacionado a uma entrega de demanda. Feedbacks positivos sobre o desempenho, um processo bem estruturado ou uma ideia inovadora funcionam como um trampolim que nos impulsiona para ações ainda melhores. 

E se bem trabalhado, até mesmo um feedback “negativo”, que aponte os erros e indique caminhos para a solução e o desenvolvimento daquele profissional, também funciona como uma ferramenta potente para uma maior confiança no dia a dia de trabalho. Como consequência, encontramos funcionários conscientes de suas funções, das habilidades que dominam e das que precisam melhorar, e uma cultura organizacional aberta aos processos de aprendizagem e evolução. 

Neste conteúdo, destrinchamos a importância de um feedback construtivo e humano para o crescimento dos funcionários e fortalecimento da cultura da empresa.  

O que é o feedback?

O feedback é toda informação específica, referente a um determinado comportamento, que encoraja uma pessoa a melhorá-lo, reforçá-lo ou desenvolvê-lo. Este retorno não deve ser feito simplesmente como uma obrigação, pelo contrário, o envio de feedback é feito pensando no desenvolvimento do profissional e em um consequente progresso da empresa. Nas startups, por exemplo, o feedback é uma ferramenta indispensável para gestão de equipes, mensuração de resultados e desenvolvimento de melhorias.  

Para as startups, a importância deste retorno está no entendimento da visão dos colaboradores sobre o modelo de negócio. Essa visão, inclusive, se relaciona com a gestão estratégica da startup, o que permite que os gestores tenham uma compreensão mais aprofundada dos processos do negócios. Além disso, com o feedback, é possível mapear o clima organizacional, pontuar as sugestões de melhorias e entender quais processos estão dando certo e quais são aqueles que devem ser interrompidos.

E para os colaboradores, o valor do feedback está no uso deste retorno como uma ferramenta potente de desenvolvimento pessoal e profissional, pensando no cargo atual que ocupa na organização e, inclusive, até em maiores desenvolvimentos de carreira. Com o feedback, é possível entender as atitudes e habilidades positivas, que devem ser mantidas a melhor exploradas. Ao mesmo tempo, também há a compreensão de comportamentos que não são tão valorosos para a dinâmica do trabalho e, por isso, precisam ser suspensos. O feedback, portanto, tem como foco a criação, conservação ou interrupção de habilidades e comportamentos de profissionais, objetivando uma maior qualificação e engajamento.

Saiba como fazer um feedback

Primeiro, o essencial é entender o que aconteceu. Ou seja, qual foi o fato que ocorreu e que necessita de um feedback para o funcionário. Depois, é entender os sentimentos envolvidos na situação e buscar tornar explícito como as pessoas envolvidas se sentiram. O terceiro ponto é entender a necessidade deste retorno e explicar o funcionário, em caso positivo, quais comportamentos devem continuar sendo colocados em prática; ou, em caso negativo, quais atitudes devem ser pausadas para que aquela situação não aconteça novamente. Por fim, é interessante realizar um pedido, em que há a exposição clara do que pode continuar sendo realizado ou mudado, trazendo maior clareza e diálogo para o momento do feedback.

Os tipos de feedbacks se dividem entre positivos e construtivos. No caso dos positivos, são aqueles mais dedicados aos comportamentos e características valiosas para a dinâmica de trabalho e que o funcionário deve fortalecer e seguir colocando em prática. Já os feedbacks negativos têm como objetivo melhorar o desempenho do funcionário, fazendo com que a pessoa evolua nos pontos tratados.

Como receber um retorno?

Para conseguirmos expor fatos, sentimentos e necessidades de mudanças ou de reforço de habilidades, é fundamental que as partes interessadas estejam abertas ao diálogo. Só assim é possível estar aberto para receber um feedback e, no caso de um retorno construtivo, ter inteligência emocional para reconhecer os erros e agir para a evolução de habilidades. Por isso, o mais importante é saber como se comunicar, seja você a pessoa que está enviando um feedback ou a que está recebendo o retorno. Alguns passos contribuem para que este momento aconteça de forma amigável e construtiva:

  • Descreva o comportamento ou o acontecimento que merece atenção; 
  • Seja específico, não generalista;
  • O feedback deve ser voltado para a necessidade de quem recebe e não de quem está dando o retorno;
  • Foque no comportamento, não na identidade de quem está recebendo o feedback;
  • Ajude a tornar o feedback um momento positivo, de estímulo ao aprendizado e à evolução.

A seguir, apresentamos um exemplo de um feedback adequado:

“Na reunião de status do projeto xyz essa semana, você não alinhou as ações pendentes com as áreas envolvidas, o que gerou um atraso relevante. Vamos procurar não repetir esse atraso?”

Como criar a cultura do feedback

Explicamos o valor de um feedback positivo e construtivo para o desenvolvimento de colaboradores e, como consequência, o avanço de uma empresa.

É importante criar uma cultura de feedback dentro das organizações para que os resultados sejam alcançados de forma harmônica e que os funcionários encontrem espaço para expor sentimentos e desenvolver habilidades. Uma forma interessante é inserir o feedback na rotina da empresa, acontecendo de forma natural, fortalecendo processos e mantendo contínuo o acompanhamento de demandas. Muitas empresas trabalham com feedbacks semanais ou mensais. Com o tempo, enviar e receber retornos sobre projetos e demandas pontuais se transforma em mais um pilar do cotidiano de trablho, o que amplia a transparência entre as partes e fortalece a cultura da empresa.

Principais modelos

Feedback 360: Neste modelo, é disposto o ponto de vista de todas as pessoas envolvidas na empresa. Existem três frentes: colaborador para startup/gestor, colaborador para colaborador e colaborador/startup para si mesmo. 

Feedback Sanduíche: É distribuído em três partes: feedback positivo, construtivo e ação necessária. 

  • Feedback positivo: Elogio de algo que a pessoa/organização fez e que deve ser mantido;
  • Feedback construtivo: Trazer algum fato que precisa ser melhorado ou questionar se o colaborador enxerga algo que deva se desenvolver;
  • Ação: Alguma dica para o colaborador melhorar algo que deva ser mudado ou manter algo que está sendo bem feito.

Feedback Canvas: É realizado para a avaliação de equipes. Com ele cada membro da equipe é avaliado, o que permite uma melhor mensuração do desempenho individual e em grupo, além de maior visualização das ações que precisam ser realizadas para potencialização de resultados.

Plataformas para facilitar

  1. Feedz: Plataforma de gestão de pessoas que tem como objetivo cuidar o clima empresarial e manter o engajamento do time. É possível realizar Feedbacks, PDI,1on1, Pesquisa de Clima, entre outras ações.
  2. Formulário online: Como exemplo, temos os formulários do próprio Google em que é possível elaborar e realizar o Feedback 360 dentro das organizações. 
  3. Better Works: É uma plataforma de avaliação de desempenho para todos os integrantes daempresa, levando em conta as hierarquias.
  4. Vaipe: É uma plataforma de gestão ativa de engajamento de colaboradores, através de pesquisas digitais.
Rafaella Vasconcelos Silveira

Rafaella Vasconcelos Silveira

Graduanda em Engenharia de Produção na EE/UFRGS. Foi Diretora Administrativa-Financeira na Eali, coordenou projetos de consultoria e tomadas de decisão. Bolsista da SEDETEC no Programa de Empreendedorismo da UFRGS, sendo facilitadora, mentora e coordenadora de projetos da graduação e pós-graduação. Fez parte de Diretório Acadêmico e atualmente faz parte do Centro dos Estudantes Universitários de Engenharia (CEUE) participando na área Financeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *