Inovação aberta na serra gaúcha: Instituto Hélice e Marcopolo

Sumário

A Semente Negócios vem atuando para fomentar a busca por inovação em organizações estabelecidas, e daremos aqui destaque em inovação aberta na serra gaúcha. Isso porque, sabemos que em um ambiente de acelerada e constante mudança, esse tema nunca foi tão almejado pelas empresas. E a preocupação não é somente em inovar, mas em inovar rápido!

Sendo assim, a inovação aberta se mostra como uma solução para desafiar as novas demandas do mercado, oportunizando outras vantagens tanto para corporações, quanto para startups. Inclusive, já escrevemos sobre os motivos de investir em inovação aberta! 

O Instituto Hélice, parceiro da Semente Negócios, tem o propósito de transformar o ecossistema de inovação da Serra Gaúcha e vem promovendo programas de inovação aberta para atrair e reter talentos para a região.

Assim, por meio de eventos, treinamentos, aproximação de organizações e startups, grupos de investimento e outras ações, o Hélice vem fomentando a inovação aberta com conexões que geram ganhos tanto para as empresas, quanto para as startups.

É nesse contexto que a Marcopolo, uma das empresas mantenedoras do Instituto, vem desde 2012 implementando a inovação em sua cultura organizacional. Em 2018, fez parte da criação do Instituto Hélice com o objetivo de ampliar a presença no ecossistema de inovação, acelerar os aprendizados e resultados sobre inovação aberta.

Assim, as startups têm agregado soluções inovadoras aos serviços dentro da Marcopolo. Nessa trajetória, o Instituto Hélice está presente gerando conexões que levam a provas de conceito, que resultam em negócios promissores e apoiam a inovação dentro da empresa.

A inovação aberta aplicada a ambientes de incertezas

imagem de uma pessoa com roupa de segurança higienizando objetos. ilustração para o conteúdo: inovação aberta em ambientes de incerteza

Com a pandemia, a Marcopolo precisou dedicar esforços para estabelecer protocolos de biossegurança, já que os ônibus poderiam ser pontos de propagação do novo coronavírus. Foi nesse momento que surgiu a conexão com a Aurratech, startup de desinfecção de ambientes e superfícies. Após a realização de provas de conceito, a Marcopolo adotou a solução da startup, solucionando um problema importante em um momento de instabilidade. 

Como é possível ver neste artigo, o transporte coletivo ficou mais seguro. Após a aplicação da solução de biossegurança específica, em um processo de cerca de 20 minutos, o ônibus tem proteção garantida de até 3 dias contra contaminações virais. Isso mostra como empresas que participam de um ecossistema de inovação estão mais bem preparadas para lidar com desafios em ambientes de incertezas.

Além de conexão com startups, o estímulo à inovação aberta proporcionado pela Hélice também se dá através das trocas entre as empresas do Instituto. Um exemplo disso foi o sucesso na estruturação do Next Labs e na Semana de Inovação da Marcopolo, no qual participaram profissionais de outras empresas do Instituto Hélice, levando para a Marcopolo suas experiências e soluções.

Uma das principais percepções da Marcopolo é de que as pessoas estão migrando para a Região da Serra Gaúcha com perspectivas profissionais, mostrando que a localidade está ficando cada vez mais atrativa para novos talentos. Isso é bastante animador, já que um dos objetivos do Instituto Hélice é justamente movimentar a região, tornando-a mais atrativa.

imagem aérea da serra gaúcha. ilustrativo do conteúdo: inovação aberta
               Imagem aérea de Nova Petrópolis, região da Serra Gaúcha.

Diante de todos esses aspectos, existe a possibilidade de que empresas tenham ganhos significativos em ecossistemas de inovação. A conexão entre corporações e startups geram ganhos para ambos. As startups oferecem soluções inovadoras e muitas vezes disruptivas e adaptáveis para as demandas das corporações, oportunizando a inovação aberta na cultura organizacional. 

Além disso, as empresas ganham muito em suas trocas de experiências e desafios, gerando soluções compartilhadas e otimizando processos. Na Semente, acreditamos que a colaboração entre os atores de um ecossistema de inovação é fundamental para o seu desenvolvimento. Assim, incentivamos empresas, associações, institutos e quaisquer outros arranjos organizacionais a pensarem em formas de cooperar para criar e compartilhar valor através da inovação.

Juliana

Juliana

Graduada em Economia Doméstica e mestra em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social pela UFRPE. Graduanda em Administração pela Estácio. Co-fundadora do EmpreED. Tem experiência com docência do ensino superior, rotinas administrativas e projetos sociais. Tem interesse e atua em inovação e empreendedorismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *