Prova de Conceito (POC): o que é e como estruturá-la na conexão com startups?

Sumário

Se você chegou nesse artigo, provavelmente já ouviu falar de conexão entre startups e grandes empresas e está buscando entender melhor como fazer isso acontecer. 

Então vamos lá!

Inovação aberta por meio da conexão com startups

A conexão com startups é um veículo de inovação aberta amplamente utilizada por grandes empresas nos últimos anos. Com o aumento da sensibilização das altas lideranças para a inovação, também motivado por inúmeros casos de mercados que foram totalmente transformados por inovações disruptivas de startups, as empresas consolidadas passam a buscar maneiras de se aproximar desse universo para experimentar a cultura e a nova forma de fazer negócios.

Existem diferentes formas de grandes empresas realizarem a conexão com startups, como Corporate Venture Capital e Fusões e Aquisições mas, geralmente, esse experimentar da cultura e forma de trabalhar acontecem na contratação ou cocriação de soluções de startups. Por isso, o primeiro passo se dá na contratação da startup como fornecedora de serviços de backoffice para que a empresa adquira maturidade na relação com startups e se sinta segura para iniciar projetos de cocriação relacionados ao seu core business

Mas o que isso tudo tem a ver com a Prova de Conceito?

O que é Prova de Conceito (POC)

dois funcionários de uma empresa trabalhando a frente de um quadro branco. ilustrativo do conteúdo sobre prova de conceito

O termo POC, do inglês Proof of Concept, significa Prova de Conceito e é o ponto de partida da conexão entre empresas consolidadas e startups.

Acrônimo para Prova de Conceito, que algumas empresas podem chamar de piloto, é uma forma mais simples e barata de experimentar se uma determinada solução tem aderência aos desafios do negócio da empresa – e isso vale tanto para a contratação de soluções, quanto para a cocriação. Podemos encarar a Prova de Conceito como um experimento para o qual vamos elencar hipóteses, testar e medir, ou ainda como um MVP, que é uma implementação mínima e viável que também busca validar hipóteses.

A POC é um projeto em escala muito reduzida, rodado de forma ágil em “ambiente controlado”, com prazo delimitado (que sugerimos ser de até 90 dias) e métricas claras de sucesso.

A ideia de realizar uma Prova de Conceito em conexão com startups é justamente testar o conceito da solução da startup em um contexto real e mensurar seu impacto, de forma a entender se (e como) aquela solução resolve as dores que motivaram a conexão caso seja escalada para toda a organização.

Deixo aqui, ainda, o destaque para uma etapa fundamental que não foi mencionada: a aprendizagem, que sucede os testes e a mensuração. A POC serve para identificar pontos de melhoria, gaps e necessidades de personalização para a solução, como um benefício para a startup que está trabalhando nesse produto; mas também para as fases seguintes do projeto de escala, caso os resultados da Prova de Conceito se mostrem interessantes para a empresa.

E por que a POC é importante mesmo quando os resultados não são os esperados? Porque tempo e recursos foram limitados de forma que pudemos testar múltiplas soluções e não investimos muitos recursos em uma única e grande solução que provou gerar pouco ou nenhum valor depois de muito tempo, somente no momento da entrega.

Como estruturar uma Prova de Conceito?

Falamos que a POC é uma forma mais simples e barata de ter uma “provinha” de uma solução, mas isso não significa que ela não deve ser gerida ou que não tem custo. Muito pelo contrário! Por ter o caráter de experimento deve ser gerida com esse rigor, e por ser um projeto de implementação (mesmo que mínimo) consome recursos, tanto da empresa, quanto (e talvez muito mais!) da startup. A Prova de Conceito é simples e barata, pois não exige um business case longo e detalhado com informações que, a essa altura do projeto, ainda não temos! 

Separamos aqui algumas dicas para aumentar as chances de sucesso das POCs que sua empresa vá realizar:

  • Defina bem os seus desafios de negócio, engajando a alta liderança nesse processo;

  • Quando encontrar startups que tenham aderência aos desafios, seja ágil na contratação da POC (e pague pela POC, afinal a startup é uma empresa com contas a pagar e folha de pagamento das pessoas competentes que estarão desenvolvendo esse projeto junto com a sua empresa);

  • É muito importante que empresa e startup firmem um acordo mútuo de confidencialidade (NDA);

  • Desenvolva um Plano de Trabalho com: as hipóteses que a empresa deseja testar com a solução; o escopo da POC, delimitação de tempo e recursos (lembre-se: deve ser mínimo, muito reduzido); um cronograma com as principais entregas/marcos; os indicadores que serão medidos e as métricas de sucesso;

  • Gerencie a POC de forma ágil – iterativa e incremental, faça acompanhamentos semanais e entregas contínuas, garanta o engajamento da equipe envolvida por parte da empresa (inclusive as áreas de apoio);

  • Encerre o experimento no prazo previsto, confira os resultados obtidos e promova uma rodada de aprendizagem identificando pontos positivos e pontos de melhoria, tanto do experimento como da forma de condução;

  • Se os resultados estiverem dentro do esperado, construa novos projetos para as fases seguintes de escala da solução na empresa, nesse caso atue como um facilitador de uma contratação mais rápida para que o projeto não perca velocidade em virtude de burocracias corporativas!

Espero que esse artigo tenha esclarecido parte de suas dúvidas sobre POCs, mas o real propósito aqui é incentivar que você experimente essa nova cultura e forma de trabalhar, e que aprenda a partir da prática. Se precisar de apoio para facilitar esse processo dentro da sua empresa, conte conosco.

Fernanda Cardoso Setti

Fernanda Cardoso Setti

Apaixonada por educação empreendedora e pela inovação como impulsionadores do desenvolvimento sustentável dos territórios e vetores de transformação da vida das pessoas. É Engenheira de Controle e Automação, com pós-graduação em Administração de Empresas e licenciatura pelo Programa de Formação Pedagógica. Possui vivências em gestão da inovação, design de negócios, desenvolvimento de produtos e gestão de projetos. Também é professora de Gestão de Projetos e Marketing no CETEC UCS e coorganizadora voluntária do TEDxExposição.

1 comentário em “Prova de Conceito (POC): o que é e como estruturá-la na conexão com startups?”

  1. Pingback: Definição de desafios: um dos primeiros passos na conexão com startups - Semente Negócios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *