imagem principal do conteúdo sobre melhorar o ambiente de home office

O futuro do trabalho é agora: como as organizações (e você) podem se adaptar para o home office ser mais produtivo?

Sumário

Sim, a pergunta também serve para você! Isso porque transformar o ambiente de trabalho em algo mais prazeroso e produtivo é responsabilidade das organizações, mas também dos colaboradores. Desde 2017, quando foi publicada a Lei 13.467 que alterou algumas regras da CLT e incluiu a possibilidade do trabalho remoto, fala-se sobre mudanças no ambiente de trabalho, o futuro das organizações e como elas conseguiriam reter os funcionários, tendo em vista que a exigência dos candidatos estava mudando.

Levando em consideração as mudanças de comportamento, as novas gerações se aproximando do mercado e as tendências que indicavam como as empresas deveriam se adaptar para ser o local ideal para trabalhar, as organizações enfrentaram o desafio, antes mesmo da pandemia, de se adaptar, tornar seus escritórios mais despojados, tentar proporcionar um ambiente menos “cringe” para que os colaboradores se sentissem pertencentes – observamos, inclusive, grandes empresas do varejo em busca dessa adaptação. E não só para os colaboradores, mas também em busca de uma melhor experiência para o cliente. Sem dúvida, as salas de coworking ganharam força e o estilo de “escritório Google” teve mais visibilidade.

Contudo, a pandemia chegou há mais de um ano, exigindo mudanças profundas nos escritórios e ambientes de trabalho extrovertidos. Mais uma vez, as organizações se viram em um desafio: como tornar o home office um ambiente produtivo?

O futuro do trabalho: o home office

duas mulheres sentadas à mesa trabalhando nos notebooks. ilustrativo do conteúdo sobre trabalho home office


Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) em 2020, estimou que, no Brasil, cerca de 7 milhões de pessoas estão trabalhando de forma remota. Sabemos que existem inúmeros fatores que contribuem (ou não) para que a nossa casa seja um bom lugar de trabalho.

Porém, há algumas maneiras das empresas tentarem, ao menos, proporcionar que os escritórios sejam um bom lugar de ir todos os dias para trabalhar. Muitas vezes, não temos como mudar a estrutura de casa, mas será que temos como mudar a estrutura da empresa para que seja mais acolhedora para os colaboradores? Será que existem formas diferentes de realizar alguns processos para que se torne mais simples e menos burocrático?

Neste momento pandêmico que, muitas vezes, parece não ter fim, as pessoas estão apresentando diversos sintomas relacionados a essa nova dinâmica de trabalho: depressão, ansiedade, irritabilidade etc. Por isso, de que forma as empresas estão abrindo um espaço para que esses colaboradores possam se expressar?

Adaptação ao futuro: as corporações também são responsáveis 

Além da reflexão sobre o quanto as organizações estão sendo efetivas quando o assunto é o ambiente de trabalho, vale ressaltar a importância da participação das empresas. Mesmo que o teletrabalho seja algo falado há mais de dez anos, não havíamos enfrentado ainda este modelo dentro de uma pandemia e, por isso, o tema se torna desafiador. Estudos sobre cultura organizacional afirmam que quando se tem a transparência como um  dos valores da empresa, se torna mais fácil o contato com os colaboradores e o reconhecimento do que é preciso melhorar.

Em um artigo do Portal Mundo RH, foi discutido as formas de melhorar o trabalho home office. O Portal abordou as boas práticas para organizações e, também, as atitudes que os colaboradores podem tomar para transformar o ambiente de casa mais agradável para o trabalho. Fazer reuniões de alinhamento com sua equipe, marcada na agenda de forma síncrona, é uma forma de “sentir” como estão as pessoas. Além disso, reuniões periódicas permitem que a liderança esteja sempre em contato com os times, outro fator de extrema importância nas dinâmicas de trabalho virtuais.

O repasse de informações de como a empresa está agindo com relação às novas regras impostas pela pandemia é, também, outra forma de ser transparente e consolidar, cada vez mais, a confiança dos funcionários. Ser flexível com relação ao horário de trabalho, quando possível, é uma maneira da empresa ser compreensível com aquele colaborador que não consegue seguir à risca determinada jornada em função de algum compromisso pessoal. Essas e outras práticas são boas maneiras que as empresas vêm encontrando para driblar o desafio do home office. 

Para os funcionários, vale lembrar da importância de manter uma rotina, escalas de horário para determinadas tarefas, organização e comprometimento. No entanto, é super relevante falar sobre a auto cobrança. A orientação dentro da psicologia organizacional é sempre ter um alinhamento claro com seu líder e, de forma honesta, apresentar todos os pontos positivos e negativos do home office para o seu dia a dia. Dessa forma, o colaborador conseguirá compreender os fatos e por vezes auxiliar melhor em suas entregas. 

O túnel do mercado de trabalho, que no início da pandemia ainda parecia muito escuro, aos poucos vem clareando e nos apresentando novas possibilidades para o home office. No entanto, ainda é preciso muita dedicação para melhor aproveitamento da força de trabalho das pessoas dentro das organizações.

Por isso, o desafio ainda é grande e a educação corporativa mudou. Percebemos o quanto evoluímos enquanto pessoa e empresa nesse último ano (devastador) e, por esse motivo, devemos avaliar de forma positiva o quão longe podemos chegar se todos caminharmos juntos em prol do mesmo objetivo: a realização profissional!

Camila Delvaux

Camila Delvaux

Apaixonada por mudanças e pelas pessoas. Formada em Comunicação Social - Jornalismo, com especialização em Gestão de Pessoas. Por mais de dez anos, trabalhou na gestão do varejo de moda e, atualmente, atua como Consultora de Inovação Empreendedora na Semente, tendo como objetivo auxiliar na transformação de novos negócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *